Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nocas

"To live is the rarest thing in the world. Most people exist, that is all." —Oscar Wilde

Nocas

"To live is the rarest thing in the world. Most people exist, that is all." —Oscar Wilde

sobre mim

Olá! Daqui é de novo a Inês e escrevo-vos do outro lado da Europa, mais especificamente, de Magdeburg, uma cidade alemã com pouco mais de 230.000 habitantes e capital do estado da Alta Saxónia.

Sou licenciada em Gestão e Mestre em Finanças.

Como sabem, em 2016 mudei-me para a Alemanha para participar no Programa Europeu de Voluntariado e entretanto acabei por ficar por amor. Actualmente, procuro um trabalho na minha área de formação, ao mesmo tempo que aprendo a língua alemã e tento me integrar na comunidade. Qualquer uma das três, não tem sido nada fácil.

No tempo que tenho entre escrever candidaturas, entrevistas de emprego e Job Coachings, tento não desesperar e acreditar que a actual situação é só uma fase. Para além disso, tenho começado a correr, a cozinhar mais e a ler Robert Sharma. Só falta mesmo praticar Yoga.

Devoro um bom livro, uma boa série ou um pacote de gomas. Adoro planear viagens, descobrir novos locais e fotografar comida (sorry not sorry).

Por aqui, vou deixando um pouco de tudo.

E às vezes um pouco de nada.

 

bem-vindo, agosto

Que venhas cheio de força, de coisas boa, de esperança. Que venhas cheio de sorrisos, de amor, de luz e calor.  Que venhas cheio de novos projectos, novos desafios, novos objectivos. Que venhas rodeado de boas gargalhadas, boas notícias, boas novas.

Que venhas e sejas muito bem-vindo!

primeira semana em magdeburg

Faz mais de uma semana que estou a viver em Magdeburg. Basicamente, tem sido uma correria. Entre desfazer malas, arrumar a casa, visitar o centro de emprego e tratar de outras tantas burocracias, não tem restado tempo para muito mais.

Estava tão feliz e entusiasmada na sexta-feira passada para deixar o hostel onde estava a viver em Frankfurt (Oder), que nem pensei nas tantas coisas que eram necessárias tratar em Magdeburg. Tem sido exaustivo e estressante. E, enquanto não resolver tudo o que tenho a resolver, vai continuar assim.

Mas tenho de estar grata de ter o M. comigo. Apoia-me incondicionalmente e incentiva-me a  continuar e não desistir. Está lá sempre. E isso é mais do que eu posso pedir. 

 

-

 

No passado domingo pesei-me. Péssima ideia. Pesava mais do que quando cheguei do meu semestre em Erasmus e nunca achei que isso fosse possível. Setenta.  Setenta quilinhos. A última vez que me tinha pesado tinha sessenta e cinco (e já estava a pensar perder um ou dois) e agora tinha mais cinco.

Prometi a mim mesma e ao M. que enquanto não atingir os sessenta três, estou em regime de dieta. Isto quer dizer: cortar nos hidratos (principalmente açúcares), na gordura e no álcool! Para além disso, a prática de exercício físico começa a ser mais frequente.

Este mês é o mês sem álcool. Quero com isto dizer que vou estar um mês inteirinho sem pegar no meu vinho do porto ou na minha cerveja de cereja. Parece fácil, mas quando se vive num país como a Alemanha, torna-se tudo mais complicado.... Mas como é um desafio de ambos (meu e do M.), estou confiante que vai ser bem sucedido. 

Até agora, conto cinco dias de dieta, dois dias de exercício físico e nada de álcool! Para além disso, os números da balança têm sido mais simpáticos. Mas falemos deles no final do mês, quando for visitar a família e ter a minha avozinha com a sua feijoada ou os seus bifinhos com cogumelos à minha espera...

Boa semana a todos que por aqui aparecem!

oficialmente uma...

Voltei! Desta vez sem promessas de escrever muito ou pouco. Decidi voltar e pronto. E voltei porque a minha vida acaba de mudar completamente.

 

Se há um ano estava a preparar-me para um ano de voluntariado na Alemanha, este ano estou-me a preparar para mudar-me para lá, de vez. Por muito que eu goste da minha família e dos meus amigos, do solinho, da comidinha boa e do nosso querido português, é na Alemanha que tenho a pessoa que eu amo. É uma loucura, eu sei, mas a loucura sabe tão bem…

 

Mas não se preocupem. Não vou completamente às cegas. O meu ano a fazer voluntariado ajudou-me um pouco com o meu alemão e, entretanto, arranjei um “mini-job”, que me vai permitir pagar as contas e continuar a aprender alemão ao mesmo tempo. 

 

 

Ainda não tinha pensado nisto, e dito assim soa estranho, mas, sou oficialmente uma emigrante!

run, nocas, run

Nas resoluções para 2017, escrevi que queria correr 10 km em menos de uma hora. Ambicioso, pensei eu. Tinha começado a correr nem há duas semanas e só no dia anterior tinha conseguido correr 5 km sem parar. Para além disso, sempre fui uma preguiçosa no que toca a exercício físico, pelo que acreditava que não duraria muito até desistir de tal objetivo.

 

Mas talvez não seja bem assim....

 

Há dez dias atrás tinha o objetivo de correr 6 km sem parar. No início sentia-me exausta, desanimada, nada crente. Contudo, com o passar dos quilómetros, tudo mudou. Comecei a aquecer e a regular melhor a respiração. Consegui afastar os pensamentos maus que me diziam para desitir e concentrei-me no objetivo. Com o aproximar dos 6 km, decidi continuar e não parar já ali.

 

Corri 10 km. Sem parar. Sem uma única paragem. E acabei a sorrir. Estava tão feliz e tão orgulhosa de mim própria que não conseguia parar de sorrir.

 

Agora é só correr mais rápido. Tipo, 12 minutos. Só isso. Apenas 12 looooongos minutos.

 

Mais alguém aqui com objetivos semelhantes? Contem tudo!

nós e os alemães

Localizada bem no centro da Europa, a Alemanha é uma república parlamentar federal de dezesseis estados com pouco mais de 82 milhões de habitantes (oito vezes a população portuguesa - coisa pouca...). Berlim é a capital e a cidade mais populosa do país, possuindo ainda o estatuto de estado (Stadtstaaten). Tal como nós, a Alemanha é membro da União Europeia e usa a moeda comum, o euro. O país possui a maior economia da Europa e é uma das maiores potências a nível mundial..

 

Como já vos disse, vivo actualmente na Alemanha. Estou a realizar um programa de voluntariado com a duração de um ano e estou prestes a completar o meu quinto mês por terras de Angela Merkel.

 

Estes últimos meses têm sido um misto de sentimentos, uma verdadeira loucura e uma completa aventura. Tenho aprendido imenso, sobretudo, sobre mim. Aprendi que se não perco 5 minutos a fazer a lista de compras, perco 3 horas no supermercado. Ou que sou óptima a poupar dinheiro e péssima a gastá-lo (noutras palavras, uma completa sovina, até para comigo).

 

Mas também tenho aprendido sobre a Alemanha e sobre os alemães. Sobre as "pequenas" diferenças entre eles e nós. E é sobre isso que pretendo escrever na minha nova rúbrica, "nós e os alemães". É sobre tradições, pensamentos, comportamentos. É um pouco de tudo e um pouco de nada. 

 

Espero que gostem!

adeus 2016!

Este ano foi, sem sombra de dúvidas, um dos anos mais felizes da minha vida. Todas as experiências que tive, todos os lugares que visitei e todas as pessoas que tive o prazer de conhecer, transformaram-no num dos mais inesquecíveis e especiais.

 

Contudo, 2017 é já amanhã e como o passado já lá vai, achei que hoje seria um óptimo dia para falar dos meus planos, desejos e ambições para o próximo ano. Aqui vai:

 

  1. Não à procrastinação. Agora que entreguei a tese de Mestrado, sinto que tenho demasiado tempo livre e que não o estou a rentabilizar da melhor forma. Chega de não fazer nada! 
  2. Ler mais. Se bem me recordo, li um livro em 2016. Vergonha... Muita vergonha... Por isso, este ano comprometo-me a ler, pelo menos, um livro por mês.
  3. Escrever mais. Um ou dois posts por semana já não era mau.
  4. Correr mais. Principal objetivo: 10 km em menos de 1 hora.
  5. Comer melhor. Menos açúcar, menos gordura saturada. Beber refrigerantes, no máximo, uma vez por mês. Fast-food, idem idem aspas aspas. Preparar semanalmente um plano alimentar equilibrado.
  6. Beber água, muita água. Diariamente, 1,5 a 2 litros de água (ou chá).
  7. Falar alemão. Não é nada fácil, mas também não é impossível. Neste momento estou no nível A1 (muito próximo do A2, acredito eu), mas o meu grande objetivo para daqui a 6 meses é que seja B1. Bitte!!
  8. Conhecer um novo país. Considero-me uma sortuda por já ter tido a oportunidade de conhecer quase duas mãos cheias de países, mas não me considero totalmente satisfeita. Se há oportunidade para tal, porque não?
  9. Projecto Nordstern. Vamos chamá-lo assim. Um dos grandes objectivos para 2017 é desenvolver o meu próprio projecto na instituição onde estou a trabalhar. Só preciso da ideia.
  10. Ser feliz. Cliché!

 

Que sejas muito bem-vindo, 2017!